WMSA LOGÍSTICA

Blog sobre Logistica, Transporte e Armazenagem

WMS – Aspectos a Considerar

O WMS é uma poderosa ferramenta estratégica para o gerenciamento de almoxarifados,

depósitos, armazéns ou Centro de Distribuição.

Mas, para auferir de seus benefícios, alguns pontos precisam ser considerados, já no

momento da avaliação de seu emprego.

WMS – Warehouse Management System, ou Sistema de Gerenciamento de Armazéns, é bastante

utilizado hoje, tanto que é considerado uma ferramenta básica para a gestão das atividades de armazenagem,

envolvendo o controle de entrada e saída de materiais, endereçamento, realização do FIFO, controle de

estoque e outras atividades.

Mas, admitamos, ainda existem empresas que não aplicam o WMS por considerarem-no uma ferramenta “cara” e,

também, por não saberem bem como escolher e utilizar o software.

WMS proporciona maior competitividade à empresa, considerando que ele é altamente flexível, parametrizado, usa

conceitos logísticos modernos e recursos de código de barras/coletores de dados radio-frequência para dar mais

produtividade à operação e aos recursos humanos.

“Ele também permite entregar o produto certo, na quantidade certa, na hora certa e a custos competitivos.”

O WMS é uma poderosa ferramenta estratégica para o gerenciamento de almoxarifados,

depósitos, armazéns ou Centro de Distribuição.

Mas, para auferir de seus benefícios, alguns pontos precisam ser considerados, já no

momento da avaliação de seu emprego.

O WMS é capaz de controlar a compatibilidade entre os produtos para efetuar o armazenamento, os endereços, nº

de série do produto, a validade, produtos diferentes ou mesmo produto com série diferente armazenados no

mesmo endereço, reposição automática e gerenciamento de kits, entre outros.

“O WMS também proporciona rastreabilidade das operações, à medida que registra todas as operações efetuadas

dentro da empresa, o que ajuda na identificação de possíveis erros e, também, no aprimoramento dos

processos operacionais. Ele permite, ainda, avaliação da performance dos recursos humanos, já que fornece

registros dos processos executados e o tempo gasto por operador.

O WMS destinado a operador logístico deve contemplar toda a gestão de custos e receitas para efetuar

simulações e o faturamento dos serviços.

“No caso de um armazém geral, o WMS deve ser, ainda, suficientemente abrangente para

efetuar os controles fiscais e a emissão do livro da Junta Comercial”.

Como escolher

Para se justificar um investimento

em WMS, principalmente com o uso de radiofreqüência ,  quando o valor de investimento é bem mais alto – é

necessário fazer uma boa avaliação da complexidade dos processos logísticos, do valor agregado implícito das

mercadorias a serem  controladas, do fluxo de caixa de custos x benefícios a serem atingidos, do tamanho e porte

das operações, entre outros fatores.

“Se a instalação em questão também realizar venda de serviços – como um operador logístico, por exemplo – é

preciso avaliar, ainda, a importância estratégica e comercial de se ter um avanço tecnológico de ponta

agregado à qualidade dos serviços a serem prestados, e se isto é importante, na prática,

para que se possa obter parceiros de investimento, ou se ter um preço de venda desses

serviços mais alto e efetivamente lucrativo, que compense o investimento”.

Diversos fatores contribuem para o sucesso da implantação de um Sistema WMS:

Primeiro, segundo ele, a empresa deve se informar dos benefícios que uma ferramenta

WMS poderá agregar ao seu modelo de negócios. Ela também deve planejar e especificar os requisitos funcionais

necessários para atingir os benefícios esperados. “Esta é a etapa mais importante, pois está relacionada diretamente

com o sucesso ou insucesso da implantação do WMS”.

Ele também informa que é preciso fazer uma pesquisa de mercado, objetivando identificar os principais

fornecedores desta tecnologia, além de marcar visitas e entre vistas com outras empresas que implantaram

WMS.

“Na verdade, quando se fala em o que considerar para justificar a implementação do WMS, é muito comum

encontrarmos empresas que conhecem e necessitam de uma ferramenta WMS. Contudo, sua implantação,

por um motivo ou outro, está inviabilizada.

Temos percebido que geralmente nestes casos, as demonstrações do Retorno do Investimento (ROI) não estão

claras ou não foram devidamente bem elaboradas. O calculo do ROI requer um conhecimento do modelo de

negócio da empresa, estabelecimento de métricas que reflitam este modelo de negócio atual e futuro e profundo

conhecimento da ferramenta WMS. Para uma eficiente elaboração e apresentação do ROI, recomendamos a

utilização de consultoria especializada, o que possibilita maior segurança ao cliente em todo o processo de estudos e

implantação”.

Uma das coisas mais importantes a ser considerado ao se implementar um WMS é a

análise de ROI. “Independentemente do tamanho do armazém ou mesmo das operações exercidas

através dele, o importante é analisar qual o retorno a ser obtido. Obviamente que estamos falando

do retorno explicito, facilmente medido por fórmulas preestabelecidas, e também do implícito, que

a empresa não enxerga diretamente, expresso pelo ganho no atendimento ao cliente, por exemplo”.

Ao analisar a viabilidade de uma implementação de um WMS, é preciso levar

em consideração três tipos diferentes de métrica de resultado:

Na produtividade:

O quanto seus processos melhorarão?

Qual será a redução de custos obtida?

Qual o percentual de ganho e retenção de clientes?;

Na infraestrutura: análise comparativa com outras empresas concorrentes quanto à qualidade do

nível de serviço e o quanto sua empresa está “enxuta”;

Na inovação:

Neste momento, a empresa avalia qual a importância do projeto, considerando a

melhoria da sua imagem frente ao mercado como um todo.

Quando aborda os fatores a serem considerados para a implementação do WMS, começa citando o aumento na

demanda dos consumidores. Isso faz com que as empresas necessitem apresentar um aumento na eficiência

operacional e, com a implantação de um WMS, este aumento pode ser da ordem de

10 a 30%. Outro fator importante está no tempo gasto para fazer o inventário.  Antes da implementação de um

WMS, pode-se levar dias para executá-lo. Após a implementação, leva-se apenas algumas

horas, com redução de erros de endereçamento, otimizando a utilização do

espaço, além de otimizar a distribuição dos produtos. Tudo isso acaba por se traduzir

em um atendimento mais rápido e sem erros ao consumidor final”.

Ele também informa que outro fator relevante é que as empresas necessitam reduzir

o giro dos seus estoques, diminuindo o custo de inventário e o tempo de conferência.

Sem o WMS a conferência dos estoques é feita de forma manual, e com a implementação

dessa ferramenta ela é feita eletronicamente, garantindo uma melhor acuracidade e maior produtividade.

Competitividade é uma das justificativas para a implementação do WMS. A necessidade de tornar uma empresa

competitiva, diante da demanda do mercado por agilidade, segurança e redução de custos, é fundamental

dispor de recursos tecnológicos (software e hardware) adequados às necessidades dessa empresa,

colocando-se à frente do mercado. “A implementação de um WMS é o inicio deste processo de desburocratização

dos processos internos”.

A implantação de um WMS permite otimizar o aproveitamento do espaço de armazenagem e

separação de produtos, além de que, informações com qualidade são muito importantes para a tomada de decisão

correta para as empresas.

Previamente à implementação de um WMS, a empresa deve ter seu processo conhecido e padronizado.

A cultura da empresa também deve ser direcionada para a aceitação da nova tecnologia.

Para tanto, a participação dos níveis de liderança é imprescindível.

“Construído o cenário apropriado, o próximo passo é a análise sistemática do requisitos necessários

para a seleção adequada da ferramenta a ser utilizada. Atualmente, a logística vista de forma abrangente é um

diferencial particular de cada empresa e a ferramenta deve atender às suas necessidades específicas. Nem sempre

uma solução de sucesso em um negócio surtirá o mesmo resultado em outro com particularidades distintas”.

Vários fatores a serem considerados para justificar a implementação de um Software WMS: grande número de

itens em estoque, necessidade de atendimento rápido de grande número de pedidos de vendas; necessidade de

conferencia automática entre o estoque físico e o contábil; necessidade de atendimento de pedidos seguindo regras

FIFO, adição ou outras que justifiquem controle de lotes.

Outros a acrescentar: alta diversidade de SKU’s; alto giro de estoque dos SKU’s (estoque médio baixo); necessidade

de controle documental de estoque (armazéns alfandegados); necessidade de controle e atendimento por lote; alto

volume de entradas e/ou de saídas (mais de 200 por dia); rapidez de atendimento como fator crítico – janelas de

expedição rigidamente cumpridas; redução do custo operacional – operadores logísticos terceirizando operações; e

escassez de área de armazenagem e equipamentos.

Necessidade de controle do produto por localização, manipulação de uma grande quantidade de produtos,

gerenciamento de produtos de depositantes diversos e controle via código de barras.

“Aderência do software ao processo, benefícios reais e mensuráveis e custo x benefício do projeto”.

Custo operacional elevado, diferença de estoque, quebra da produção devido à falta

de matéria-prima e alto nível de retrabalho.

“O real fator que justifica a implementação de um WMS é o benefício trazido pela automação do depósito,

armazém, Centro de Distribuição ou local onde for aplicado. Desta forma, ganha-se

agilidade e velocidade na busca, manejo e comercialização de produtos, reduzindo níveis de estoques,

obsolescência de materiais e melhorando os processos e controles sobre todas as atividades nestes locais”,

 

Conclusão

Podemos concluir que um WMS pode otimizar o negócio de uma empresa com a redução de

custos e com a melhoria do nível de serviço prestado ao consumidor.

“As empresas precisam começar a olhar as suas Cadeias de Suprimentos (Supply Chain), e o ideal é que

comecem pelo consumidor final e caminhem para trás. Porque elas poderão ter uma desagradável surpresa, ao

saberem que não estão mais fazendo parte da Cadeia. É necessário saber que os padrões de

consumo estão mudando rapidamente e que isto pode significar que os consumidores não irão mais

comprar os produtos de determinadas empresas”.

Em função destas mudanças no mundo globalizado está a importância de se investir em ferramentas como o WMS

e outras disponíveis que podem ajudar a melhorar substancialmente o Gerenciamento da Cadeia de

Suprimentos (SCM).

Benefícios do uso do WMS

* Controlar a portaria, recebimento, movimentação, estocagem, picking e expedição de produtos, com mais

agilidade e acuracidade nos processos.

* Reportar todas as atividades de armazenagem e distribuição com maior velocidade e segurança.

* Endereçamento automático e otimizado por Regiões de Armazenagem ou características de produto (Curva ABC).

* Otimizar o trabalho do pessoal operacional e administrativo.

* Gerenciamento pró-ativo (sistema informa ao operador a tarefa a ser executada).

* Melhorar a produtividade dos recursos do armazém.

* Permitir a rastreabilidade total dos processos e produtos.

* Ter confiabilidade e eficiência no controle de estoques de produtos.

* Permitir o controle de lotes (PEPS/FIFO).

* Informações seguras, contínuas, integradas e em tempo real (se utilizar R.F.).

* Apoio ao processo de EDI – Troca Eletrônica de Dados.

* Possibilitar o controle de lote (fabricação, data de vencimento, lote logístico).

* Permitir o controle de produtos serializados (No  Série).

* Dar subsídios para assistência técnica através do controle de série do produto.

* Agilizar e otimizar o processo de inventário e auditoria dos estoques.

* Oferecer melhor nível de serviços aos clientes internos e externos.

* Dar subsídios para avaliação de performance dos Recursos Humanos.

* Obter maior eficiência na tomada de decisão.

* Melhorar ainda mais a imagem da empresa perante o mercado.

* Visualização de operações e monitoramento em tempo real.

* Variedade de informações gerenciais que possibilita identificar pontos de gargalo da operação.

* Disponibilizar informações para o pleno gerenciamento do almoxarifado, depósito,

armazém ou centro de distribuição.

* Gerenciamento de múltiplos estabelecimentos.

* Integração entre os sistemas da organização, fornecedores e clientes.

* Segurança por usuário e controle de acessos.

* Solução integrada de gestão de estoques, faturamento de serviços, controles fiscais e emissão de Livro

da Junta Comercial (para operador logístico e  armazém geral).

L o g w e b (matéria modificada)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: