WMSA LOGÍSTICA

Blog sobre Logistica, Transporte e Armazenagem

PADRONIZAÇÃO EM AMBIENTES PRODUTIVOS

Há pelo menos, três tipos distintos de padronização em ambien-

tes produtivos industriais, que são:

. de especificação ou técnica;

. de procedimentos;

. documental.

No primeiro grupo estão as definições de materiais, equipamen-

tos e serviços que se tornam representantes de uma faixa de

opções e que reduzem a quantidade de alternativas de

especificação.

Neste segmento se encontram estudos da capacidade do mercado

fornecedor e a redução da quantidade de faixas de especificação.

Como exemplo, imagine-se a utilização de tubos metálicos que

variem de 2 a 40 polegadas de diâmetro, em diversas aplicações

internas na corporação. Ao invés de se utilizar qualquer diâmetro

calculado como especificação para compra, o projetista opta por

diâmetros representativos de faixas. Assim, os padrões poderiam

ser 2,6,10,14,18,22,26,30,34 e 40. Caso o cálculo indicasse um

diâmetro de 13,4, o projeto seria recalculado para 10 e 14 e

escolhida uma destas duas hipóteses, a menos de restrições

técnicas instransponíveis.

Assim, todo o sistema conseqüente de quem usa e investe se

beneficia desta escolha dentro de um padrão, envolvendo menor

diversidade de especificações aplicadas, menores estoques para

reposição, menor quantidade de ferramentas de manutenção,

maior compartilhamento de partes e peças complementares, etc.

Do lado do mercado fornecedor, também há redução de custos

por conta da otimização dos processos de fabricação, ferramental,

melhor preparação de máquinas e processos, menores tempos de

disponibilização, etc.

O segundo grupo de “padronizáveis” é o dos procedimentos, ou

seja, das formas de obter bens e serviços no mercado. Podem ser

diferentes as maneiras de adquirir mesmos equipamentos em

diferentes organizações, pois o item não subsiste por si só, por sua

especificação intrínseca, mas na relação que o equipamento

possui na cadeia produtiva a que irá servir. São selecionados

fornecedores, pedidas propostas, comparados os preços, escolhi-

dos os fabricantes, incorporados serviços e peças, etc., muito

mais em função da complexidade do mercado fornecedor e pela

criticidade da aplicação. Cada situação possui um padrão ou

recomendação de procedimento.

Os procedimentos devem balizar as atitudes, os tempos, as fases,

os níveis de competência, os controles.

O terceiro grupo de padronizáveis envolve a documentação da

empresa, nos diversos níveis. Fazem parte deste conjunto ques-

tões de seleção de tipos de documentos (reservados, confidenci-

ais, secretos, distribuição interna, distribuição externa), os gru-

pos por funções (de compras, de vendas, de contabilidade,

financeiros, de engenharia, de manutenção, de logística, etc.), o

formato (só papel, só eletrônico, etc.), com backup, com redun-

dância física, etc.

Tamanhos, logos, tamanhos de letras, padronização de assinatu-

ras, posição de cada conteúdo em cada documento, datas, leitura

ótica, rastreamento, troca com o meio externo fornecedor, con-

sumidor e prestador de serviços, enfim, todas as questões envol-

vendo a produção e o recebimento de documentos na empresa

podem estar agrupados em padrões mínimos que irão facilitar

significativamente a recuperação, a velocidade de interpretação,

a redução de erros e os controles. O reescrever, o recadastrar, a

duplicação de um ato deve ser observada e ser motivo de redução

calculada pela padronização documental.

Padronizar significa normalizar, reduzir, esquematizar, induzir a

todos os mecanismos de economia e redução de dispersão,

Em resumo, os principais benefícios da padronização são:

. Criar consistência em uma família de produtos;

. Gerar um repositório de diretrizes e padrões;

. Permitir treinar novos usuários;

. Melhorar o trabalho de grupos e equipes;

. Reduzir erros;

. Aumentar a confiança;

. Aumentar a eficiência;

. Reduzir a reinvenção;

. Reduzir decisões sem regras;

. Reduzir tempos de projeto, desenvolvimento e

implementação;

. Facilitar a reutilização;

. Interoperabilidade entre sistemas, unidades e áreas

distintas.

Para permitir a elaboração de padrões e assegurar que eles sejam

utilizados, entende-se que os principais requisitos são:

. Patrocínio da alta administração;

. Simplicidade;

. Participação ampla na confecção;

. Comunicação fácil e intuitiva;

. Conseqüências para usos fora do padrão, quando não haja

justificativas;

. Pouco texto, direto ao ponto;

. Premiações, incentivos;

. Demonstrações das vantagens em linguagem simples.

A r m a n d o O s c a r C a v a n h a F i l h o

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: