WMSA LOGÍSTICA

Blog sobre Logistica, Transporte e Armazenagem

TRADE-OFF LOGÍSTICO

Segundo o dicionário Webster, trade-off significa “um balanço

de fatores não acessíveis ao mesmo tempo, como, por exemplo,

educação versus experiência; ou o abandono de uma coisa em

prol de outra, troca, compensação”. As ações logísticas são tipica-

mente compensatórias. Uma ação gerencial em um sentido qual-

quer provoca melhoria de uma variável focalizada por um lado,

mas aumenta a sensibilidade de outras variáveis, por compensa-

ção.

Aumentar o nível de serviços em logística acarreta aumentar

os custos logísticos de forma acelerada (exponencial, logarítmica,

não linear, etc.). Com o aumento de custos, reduz-se o valor recei-

tas, decrescendo o lucro. Há, assim, do ponto de vista estritamen-

te econômico, uma situação lucro máximo, que indica um nível de

serviço determinado. O nível de serviço de um sistema logístico

pode ser dimensionado em função deste ponto de máximo lucro,

mas deve ser avaliado se se trata de um nível de serviço aceitável

para manter mercado ou estabilidade do processo à jusante (pro- A

dução, próximo modal, etc.).

Outro trade-off tipico em logística trata do tipo de modal de

transporte e os custos de estoques. Modal de transportes signifi-

ca, neste contexto, velocidade de entrega, para um mesmo trajeto.

Custos de estoques significam custos financeiros de estoques, ou

seja, o custo do dinheiro para manter um recurso não em uso dire-

to, portanto dinheiro indisponível em caixa. Para modaís mais rá-

pidos, menores são os custos de estoques equivalentes.

Presume-se haver, para cada aplicação, uma faixa ótima de

modais que possam indicar custos de estoques razoáveis, para

que a principal função do estoque seja permitida, ou seja, a prote-

ção do processo seguinte (produção, venda, ou modal subseqüen-

te da cadeia de suprimentos).

Há, no entanto, maneiras de compor diversos modais de for-

ma simultânea, em paralelo e em série, para parcelas do volume a

transferir, de forma a permitir o uso de combinações de modais

mais baratos com outros mais ágeis. Neste assunto são bem vis-

tos os conceitos de contingência e redundância, que to-

mam dimensão a depender dos valores dos processos que tais

estoques visam proteger.

Outro trade-off de alto significado é o do próprio estoque e o

custo da falta em um sistema.

Os estoques existem para proteger os sistemas produtivos que

antecedem, quer sejam unidades de transformação, ou até mes-

mo os mercados consumidores que alimentam. Assim, são com-

parados os custos para manter estoques (custos financeiros, de

armazenagem, preservação, movimentação, etc.) com o possível

custo da falta. Para sistemas com maiores variações com relação

à média, maiores devem ser os estoques protetores, evitando-se o

risco da falta.

Os trade-off em logística são elementos que devem ser trata-

dos de forma global, ou seja, com a visão do ciclo completo de

suprimentos, com o conceito do custo total. Não há sentido no

tratamento de trade-off em parcelas de ciclos, uma vez que ganhos

aparentes em fases podem ser compensados em fases contí-

guas, por vezes de forma natural.

A r m a n d o O. C a v a n h a F i l h o

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: